India

A Índia intensa, vista pela Inês

Conheça a Índia pelos olhos da Inês Gomes, uma bestraveller convidada do nosso blog, uma especialista em viagens da nossa agência Bestravel Saldanha. Uma viagem inesquecível que partilhamos consigo na nossa rubrica Bestraveller.

A Índia é sem dúvida, um dos países mais fascinantes que visitei até aos dias hoje. Tudo começou no início do ano de 2018, onde se proporcionou visitar apenas parte deste país imenso com três amigas. Antes de iniciar a viagem tinha noção que o choque cultural iria ser extremo e, antes de vos falar um pouco da minha experiência, posso dizer-vos que a Índia é numa palavra: intensa. O calor, o trânsito, o barulho infernal, a sujidade, a pobreza, as cores e as vacas foi como sempre tinha imaginado, mas multiplicando por 100.

A minha viagem na Índia

Decidimos organizar a nossa viagem entre Goa e o chamado Triângulo Dourado – constituido por Deli, Agra e Jaipur -, e ainda com uma extensão a Varanasi, Udaipur e Kerala.A primeira paragem na Índia começou na capital, Nova Deli e, logo à chegada ao aeroporto, sentimos o verdadeiro choque cultura. Uma “nova realidade” de um país completamente distinto, que iamos começar explorar. Após uma estada de 2 dias na capital, rumámos de comboio até Agra.

Agra e o Taj Mahal

Ao chegar a Agra o objectivo era claro: visitar uma das sete maravilhas do mundo moderno. A visita ao Taj Mahal começou bem cedo, por volta das 6 horas da manhã, para assistir ao nascer do sol dentro do templo. Uma experiência verdadeiramente inesquecível. Além do Taj Mahal, um monumento interessante a conhecer em Agra, é o Forte de Agra. O Forte de Agra foi construído às margens do rio Yamuna, em 1080 e considerado Património da Humanidade pela Unesco.

A não perder na Índia: Varanasi e Jaipur

Na minha opinião, qualquer viagem pela Índia deve incluir uma passagem por Varanasi. Uma das cidades mais fortes e intensa que visitei. No entanto, antes de conhecer Varanasi sugiro uma preparação mental e espiritual.
Posso confessar que a chegada a Varanasi foi complicada e um pouco desesperante. Em primeiro lugar, o comboio Agra-Varanasi atrasou cerca de 11 horas e a viagem durou, na sua totalidade, 12 horas com as demoradas paragens em várias localidades. A chegada a Varanasi foi chocante, pois estávamos naquela que é uma estação de comboio caótica. Resultado: o encontro com o nosso tranfer foi um desafio.

A vida em Varanasi gira em torno do Rio Ganges, o rio mais sagrado da Índia. Aqui é possível ver peregrinos a tomar banho nas águas sagradas do rio, assim como assistir aos rituais fúnebres com os corpos a serem queimados. Uma experiência chocante e inesquecível, que realmente nos desperta para um mundo oposto do que conhecemos.
Após a visita à intensa cidade de Varanasi seguimos para Jaipur, outra cidade encantadora chamada a Cidade Rosa. Em poucas palavras, posso como uma cidade majestosa pelos seus magníficos palácios, enormes fortes e multiculturalidade.

Próxima paragem: Udaipur e Goa

A viagem pelo Rajastão terminou em Udaipur, conhecida pela cidade branca deste estado indiano. Udaipur é uma cidade com um charme natural, reúne palácios fantásticos, ghats, ruas estreitas e coloridas. É importante realçar os seus castelos a flutuar nos lagos.

Após visitar o norte da Índia, viajámos de avião até Goa. Ao chegar, parece que entramos noutro país. Não consigo arranjar palavras que descrevam a imensidão e a beleza do conjunto de igrejas e conventos de Velha Goa. Desde a Igreja de Nossa Senhora da Imaculada Conceição, à Sé Catedral de Goa e à Basílica do Bom Jesus, todas Património da Humanidade da UNESCO.

Desde a Velha Goa a Panjim, passando pelas praias ao longo da costa, foi possível explorar a arquitetura, a gastronomia, os costumes e a história. Ainda conseguimos trocar algumas palavras em português com os locais e observar os apelidos portugueses nas portas e nas ruas. Sem dúvida que foi fascinante.

Um bairro que não podia sair no nosso itinerário foi o Bairro das Fontainhas, declarado Património da UNESCO em 1984. Foi seguramente uma passagem marcante, onde foi possível encontrar antigas residências portuguesas com imensa cor, ruas pitorescas, galerias de arte, padarias e até alguns restaurantes que concedem ao Bairro das Fontainhas um carácter inegável.

Kerala, a pérola da Índia

Esta viagem fascinante terminou no sul da Índia, no estado de Kerala, mais precisamente em Kochi. É uma cidade deslumbrante e tão diferente da Índia que partilhei anteriormente. Destaco um clima bastante tropical, com rios e alojamentos barco-casa, os campos de chá e as plantações de arroz. Não faltam os templos incríveis e a excelente gastronomia que misturava tanto os peixes das praias de Kerala, bem como as famosas especiarias indianas.
Hoje recordar e afirmar que as três semanas que passei na Índia foi uma das experiências de viagem mais marcantes da minha vida. Todos os dias foram uma surpresa, contudo nem sempre boa, mas que deixam muitas histórias para contar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *